Educação Especial

Chama-se Educação especial e não Ensino Especial, porque o que se pretende é educar no sentido do desenvolvimento das capacidades e não somente a aprendizagem, embora esteja também presente a apreensão de conteúdos programáticos necessários à evolução escolar dos educandos. Este trabalho é realizado por docentes especializados nas áreas de deficiência mental e motora e de dificuldades múltiplas, e, também, na deficiência auditiva e dificuldades de comunicação. No nosso Agrupamento a educação especial é um departamento curricular e tem assento no Conselho Pedagógico, o que é muito importante, porque é interdisciplinar e transversal a todas as disciplinas e a todas as matérias

No nosso agrupamento a Educação especial ocupa um lugar privilegiado de inclusão nas salas de aula e em toda a vida ativa do dia-a-dia da escola, uma vez que temos mais de 150 alunos que beneficiam de apoio dado por este grupo de docentes. Temos duas unidades de Multideficiência, uma no 1.º ciclo e outra de continuidade pedagógica, no 2.º e 3.º ciclos, onde se trabalham currículos específicos adaptados a cada aluno, respeitando sempre as suas características pessoais e as suas capacidades, integrando a sua turma nas disciplinas possíveis e que acrescentem mais vida e conhecimento pessoal e cognitivo, uma vez que temos que ter sempre em conta a máxima da segurança e do respeito pela individualidade e pela da saúde física e emocional destes alunos.

Há um trabalho permanente de uma equipa, formada por terapeutas do Cri da Cercigaia e da Câmara Municipal, que são nossos parceiros neste nobre trabalho, pelos docentes especializados, dois em cada sala e que contam com a preciosa e indispensável ajuda de quatro assistentes operacionais e dos +pais e encarregados de educação. Nestas salas há um intercâmbio com toda a vida da escola, nomeadamente com a biblioteca escolar. Os currículos dos alunos são do conhecimento de todos os intervenientes no processo de ensino e de aprendizagem, nomeadamente pais e colegas, que participam ativamente, com atividades programadas na sua implementação, uma vez que as salas estão abertas e são recursos de trabalho para toda a escola e também para os membros da comunidade que fazem o favor de participarem na vida destes alunos.

Os alunos que não conseguem, por via das suas dificuldades, acompanhar os currículos comuns, têm currículos próprios, para poderem adaptar os conteúdos programáticos à sua vida ativa e para que desenvolvam autonomia e autossuficiência no futuro e também, para que consigam ter uma vida profissional ativa, quando forem adultos. Estes alunos estudam cidadania, matemática e língua portuguesa adaptada à prática das suas vidas e também inglês, para entenderem a universalidade da língua. Fazem atividades de culinária e jardinagem e de desenvolvimento psico motor e sensorial e artístico, assim como de movimento música e drama. Frequentam as disciplinas da sua turma, de acordo com as suas capacidades e necessidades.

Fazem também parte integrante do dia a dia de toda a comunidade escolar e participam ativamente nos projetos comuns. A Biblioteca faz um trabalho excelente com estes alunos. O nosso agrupamento faz parte do projeto “todos juntos podemos ler” que visa a educação especial como parte integrante da escola leitora e que mostra que se pode ler com as mãos e com todos os sentidos. Os restantes alunos realizam o seu trabalho na turma, com o apoio do docente da educação especial, que participa cooperativamente nas atividades comuns à turma e que programa o seu trabalho por escrito, em documentos que são assinados por todos os intervenientes no processo de ensino/aprendizagem.

De realçar que temos parcerias com a APPACDM de Vila Nova de Gaia e com o Centro de Reabilitação da Granja.
Os nossos alunos fazem PIT (Plano Individual de Transição) com estas entidades, depois dos 15 anos, para conseguir uma inclusão progressiva na vida ativa, de acordo com as suas potencialidades.